As fotos nas ruas, as ruas nas fotos – 5ª Mostra São Paulo de Fotografia

https://www.jornaldafotografia.com.br/noticias/eventos/as-fotos-nas-ruas-ruas-nas-fotos-5-mostra-sao-paulo-de-fotografia/
A partir do dia 25 de Janeiro, aniversário de 460 anos da cidade, São Paulo terá um bairro inteiro ocupado por exposições fotográficas e atividades ligadas à fotografia.
Confira abaixo os destaques de nosso bate-papo com o curador Fernando Costa Netto sobre a 5ª Mostra São Paulo de Fotografia e clique aqui para ver e baixar o mapa e ver os destaques da agendade exposições, intervenções e atividades que compõem a mostra.Na fotografia em preto branco, uma jovem atravessa a Rua Augusta, esquina com a Av. Paulista.Nesta edição da Mostra São Paulo de Fotografia, o que não faltam são atrações para comemorar os460 anos da metrópole. Entre 25 de janeiro e 23 de fevereiro, a Vila Madalena, bairro localizado na zona oeste de São Paulo, terá cerca de 40 pontos com exposições, palestras, workshops, intervenções, projeções e ciclos de debates com alguns dos mais importantes fotógrafos do Brasil. Idealizada pela DOC Galeria, a Mostra tem como curadores Fernando Costa Netto, Mônica Maia, Alexandre Belém, Diógenes Moura e Giorgia Quintas.Desde 2010, sempre no aniversário da cidade, fotografias são expostas em restaurantes, cafés, bares, escritórios, lojas, salões, galerias e muros de uma região efervescente, com uma atmosfera cultural propícia para falar à imaginação do público. E o objetivo é esse mesmo: promoverum festival inusitado, integrado à paisagem urbana. Como resultado, a cidade não é só a matéria deste evento, mas também se projeta sobre sua linguagem e constituição.

“A Vila Madalena é o único bairro de São Paulo com características para abrigar um projeto como esse”
(Fernando Costa Netto)

Batemos um papo com Fernando Costa Netto, sócio da DOC e organizador do evento, sobre a valorização do espaço público na fotografia,expressa pelo aumento de ensaios e exposições com a temática urbana e pelo resgate da fotografia documental.Isso porque a Mostra propõe revelar a imagem de São Paulo no sentido mais amplo possível: ela não só faz um apanhado da iconografia paulista hoje, como ainda discute seu papel na construção diálogo democrático.

Para Fernando, as manifestações de junho contribuíram muito para esse revival:

Elas resgataram uma autoestima do fotojornalismo, porque todo mundo foi para a rua e muita foto boa apareceu. Foi quando surgiu o Fotoprotesto SP, iniciativa do Mauricio Lima, aqui na DOC Galeria. O Drago também nasceu com as manifestações, em seis meses ganhou o prêmio Esso e hoje é o mais festejado do fotojornalismo brasileiro”. 

Policiais formam barreira e são fotografados pelo coletivo Fotoprotesto SP, que também faz parte da Mostra.

Trabalhos desses e de outros artistas como Beth Barone, que apresenta a série “Procura-se”, poderão ser vistos durante um mês – período em que a comunidade fotográfica e a local se encontrará nas ruas para bater perna e redescobrir um bairro cada vez mais ameaçado pela especulação imobiliária e sua consequente verticalização.

Formato: é  uma crítica ao modelo convencional?

“De jeito nenhum.  É o formato ideal para o bairro, não tem outro formato.  Trata-se da ocupação de um bairro inteiro pela comunidade fotográfica de São Paulo, no aniversário de São Paulo, com imagens de São Paulo – super inclusivo. E tem essa coisa de ir para a rua, que a gente adora.

É a minha história e a história da Mônica, a gente não poderia fazer de outro jeito. A Mônica tem vinte anos de Agência Estado e eu me criei na rua – comecei na Trip e minha missão era trazer a rua para dentro da revista. É  nisso que a gente trabalha o ano todo: quem é que está fazendo alguma coisa sobre a cidade relevante, que encaixe no nosso projeto? A partir daí é que fazemos os convites.

Eu fiz uma tentativa de ocupar o centro de São Paulo na primeira edição da Mostra, mas não deu certo. Depois eu tentei a Vila Madalena e aqui fiquei, funcionou super. A Vila Madalena é o único bairro de São Paulo com características para abrigar um projeto como esse”.

A paisagem urbana em São Paulo, por Carlos Moreira.

Espaço para novos talentos

Dar espaço para novos talentos também é um dos objetivos da Mostra. Por meio de uma convocatória com curadoria de Alexandre Belém (blog Olhavê) e Giorgia Quintas, foram selecionados os trabalhos de cinco fotógrafos entre 130 inscritos:

  • Alexandre R. Pereira, com o ensaio Olhonocoletivo;
  • Bruno Mitih, com a série Sem título; 
  • Caio Cestari, com a série BB SP 13;
  • Keiny Andrade, com a série PERSONA – retrato de Rua;
  • Leandro Giannoti, com a série SubexPosta.

Para conferir as séries, basta comparecer à DOC Galeria.

Na esquina entre a Rua Augusta e a Av. Paulista, um homem trajando uma camiseta do Deep Purple atravessa a faixa de pedestres.

Academia Paulista de Fotografia

Outro destaque é a inauguração da Academia Paulista de Fotografia: um projeto inédito, que visa colaborar com a produção e documentação fotográfica de São Paulo.

Os convidados da primeira edição – Claudia Jaguaribe, Cia de Foto, German Lorca, Klaus Mitteldorf, Lalo de Almeida, Lucas Lenci, Mauricio Lima, Nelson Kon, Paulo Vainer, Roberto Wagner, Sheila Oliveira e Tuca Reinés – farão 12 trabalhos exclusivos, que terão a cidade como tema. Eles ficarão em exposição na DOC durante a realização da Mostra SP de Fotografia e, logo depois, migram para o Shopping Cidade Jardim.

“A proposta da Academia é fomentar o colecionismo”, diz Fernando. Para quem deseja investir e se aproximar do segmento de artes visuais – que cresce mais a cada dia –  será possível adquirir as fotografias da Mostra na primeira edição do projeto, que contempla  uma caixa com 12 fotos, uma de cada fotógrafo, por R$ 30 mil reais. “Essa é uma oportunidade única, se considerarmos o valor de mercado usual para cada obra dos artistas que mencionamos”.

O combinado é que na próxima edição do evento os convidados indiquem seus sucessores e assim por diante, dando continuidade ao projeto.

Na foto em preto e branco, uma jovem em pé diante da cortina.

Magnum Photos

Pela primeira vez no Brasil em décadas, a lendária agência Magnum Photos participará do evento ministrando dois workshops que ocorrem de 17 a 21 de fevereiro, com aulas teóricas e práticas dadas pelo iraniano Abbas e o hispano-americano Moises Saman. O que há em comum entre esses fotojornalistas é a cobertura em zonas de guerra e suas aulas serão destinadas a fotógrafos ou estudantes que já tenham boa compreensão da prática fotográfica.

Os trabalhos inscritos serão avaliados pela Magnum, em Paris, portanto o registro e o pagamento – € 950 ou novecentos e cinquenta euros – deve ser feito direto no site da Magnum. O prazo para as inscrições vai até 27 de janeiro. Uma vez encerradas as aulas, que serão dadas no Espaço Revista Cult (Rua Inácio Pereira da Rocha, 400), uma projeção pública com os trabalhos realizados nos cinco dias de curso será feita em frente à DOC Galeria.

AFEGANISTÃO. Kandahar, março de 2005. © Moises Saman / Magnum Photos

Vale lembrar que essa será a única atividade paga do evento.

“Não tem por quê ser pago. O bairro está sendo generoso com a gente e essa é nossa contrapartida – gentileza gera gentileza. Além do mais, nem daria para cobrar pelas exposições, já que elas serão realizadas em locais públicos. O que a gente quer mesmo é trazer a fotografia às pessoas, por isso o projeto é totalmente gratuito.”

Serviço

  • O quê: 5ª Mostra São Paulo de Fotografia
  • Quando: 25/01/2014 a 23/02/2014
  • Onde: ruas da Vila Madalena, zona oeste de São Paulo.
  • Horários e programação completa do evento: confira aqui.
  • Site oficial: http://www.mostraspdefotografia.com.br

Galeria de Fotos: As fotos nas ruas, as ruas nas fotos – 5ª Mostra São Paulo de Fotografia

email

3 comentários

  1. Olá, Edson. Tudo bom?

    Sou editor do Jornal da Fotografia e apesar de ficarmos honrados do material que criamos se espalhar entre profissionais da fotografia, peço que coloque os créditos de autoria com link para o original no começo e no fim do texto.

    “Original escrito por Giselle Moreira Porto no Jornal da Fotografia”

    (link em Jornal da Fotografia)

    Conto com sua compreensão e civilidade.

    ‘braços

    PS: Dica de quem trabalha com otimização para Google. Publicar conteúdos de terceiros na íntegra, sem citar a fonte, pode acabar levando a penalidades nas buscas.

  2. Obrigado, Edeson.

    ‘braços e sucesso

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *