“Aquarelas – Colorindo o valor de ser mulher”

Exposição Fotográfica “Aquarelas – Colorindo o valor de ser mulher”

Aquarelas

” Quatro décadas se passaram desde que a Organização das Nações Unidas (ONU) celebrou o primeiro Ano Internacional da Mulher (1975) e pediu aos seus países membros que instituíssem o dia 8 de março como data celebrativa. De lá para cá, vários foram os avanços e, mesmo assim, ainda há muito a ser feito em favor da garantia do direito da mulher.

Pensando na importância de disseminar informações sobre a condição feminina e sua luta, alunos do curso de Pós-Graduação em Administração e Organização de Eventos do Senac Sorocaba, em parceria com a Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), promovem no sábado (7) o evento “AquarElas”, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher – comemorado em 8 de Março. Das 10h às 16h, na Praça Coronel Fernando Prestes, estações temáticas vão oferecer orientação sobre educação, beleza, cultura, saúde e bem estar.

As atividades acontecem por meio de palestras, aulas e intervenções culturais que exaltam a mulher e ratificam sua condição humana, em todos os aspectos sociais. Por isso mesmo, além das estações, o “AquarElas” terá um espaço onde o visitante conhecerá todos os serviços públicos municipais voltados à mulher.

A celebração ainda contempla atividades sociais, culturais e educacionais que visam a valorização da mulher, provocada por meio da troca de informações e ações de interação. O evento é gratuito e pretende atingir ao público feminino entre 18 e 40 anos, em trânsito pela área central da cidade, além daquelas pessoas que querem discutir os múltiplos aspectos da mulher na contemporaneidade.

Saúde e beleza

A Comemoração pelo Dia Internacional da Mulher ainda traz um presente para valorizar a mulher e oferece massagem, corte de cabelo (que ainda poderá ajudar uma instituição), maquiagem e dicas de moda e estilo.

O público também contará com palestras rápidas sobre “Empreendedorismo”, às 10h30, com participação de Raquel Barros; Mary Dantas Agostinelli falará “Só para mulheres”, às 12h; enquanto Emanuela Barros apresentará um assunto muito sério sobre “Tráfico Humano”, às 12h30. O “AquarElas” ainda promoverá uma aula de Krav Maga com Rodrigo Maia, às 13h45, e encerra as conversas com o público tratando da “Mulher na Política”, assunto que será abordado pela deputada estadual Maria Lúcia Amary.

No quesito saúde, médicos de diversas especialidades orientarão ao público e, no Ônibus da Mulher, o público feminino poderá esclarecer dúvidas e realizar exames.

No palco cultural que será montado na praça, a partir das 11h15 serão várias atrações. E quem abre a festa é a banda “Os Figurantes”. O cardápio cultural ainda traz a participação do Abayomi Dança Afro, às 13h15, e do Teatro Coletivo Cê, às 14h15, com o espetáculo Cunhãntã. Às 15h20, o Grupo da 3ª Idade faz um show de dança e, às 15h40, será a vez do Coral Associação Cristã de Moços (ACM) ocupar o espaço.

Luta histórica

Atribui-se a celebração do Dia Internacional da Mulher – 8 da Março, à memória das 130 mulheres mortas no incêndio de uma fábrica de tecidos, em Nova York, em 1911. Elas lutavam por melhores condições de trabalho e salário e teriam sido trancafiadas no local onde ocorreu o acidente, o que configurou-se um marco de sua luta.

Entretanto, há registros das reivindicações femininas ao longo da história desde o século 19, quando, na Europa e nos Estados Unidos, elas saíam às ruas para protestar contra a discriminação e a garantia de seus direitos. De fato, a primeira data celebrada em homenagem à mulher aconteceu em 1908. Mais de 1,5 mil aderiram à luta por igualdade. A data proposta, incialmente, era 28 de fevereiro e teve a participação de 3 mil mulheres. Essa mobilização culminou, em novembro de 1909, numa longa greve que fechou quase 500 fábricas têxteis norte-americanas.

Foi em 1910, durante a II Conferência Internacional de Mulheres Socialistas na Dinamarca, que uma resolução aprovada por 17 países criou uma data anual para a celebração dos direitos da mulher, valorizando sua luta.

Mas, foi somente com uma manifestação de 90 mil operárias russas, em contraponto às péssimas condições de trabalho, a fome dizimadora e a participação da Rússia na primeira guerra que consagrou o 8 de março (23 de fevereiro no calendário Juliano, adotado pela Rússia até então). Este protesto ficou conhecido como “Pão e Paz” e oficializou o 8 de Março como Dia Internacional da Mulher, em 1921. Em 1925, a Organização das Nações Unidas (ONU) assinou o primeiro acordo internacional que reafirmava os princípios de igualdade entre homens e mulheres. Em 1975 é comemorado, oficialmente, o Ano Internacional da Mulher e, em 1977, o “8 de março” foi reconhecido oficialmente pelas Nações Unidas.

No Brasil, a mobilização em torno da garantia dos direitos da mulher ocorre, principalmente, junto aos grupos anarquistas no início do século 20. Em 1920 e 1930, a luta pelo direito ao voto reascende a busca pela condição igualitária entre homens e mulheres e, em 32, elas ascendem à condição de eleitoras. O final da década de 60 e os anos 70 marcam grandes discussões nacionais. Em 1982, se cria o Conselho Estadual da Condição Feminina em São Paulo. Em 1985, é inaugurada a primeira Delegacia Especializada da Mulher. ”

Apesar do evento principal ser apenas no dia 07/03, temos antes uma super exposição para todos: fotos de lindas mulheres batalhadoras, empreendedoras, líderes comunitárias, formadoras de opinião e que inspiram outras milhares de mulheres.

Exposição Fotográfica “Aquarelas – Colorindo o valor de ser mulher” do dia 03/03/15 ao dia 16/03/15, de segunda a sexta dás 08:00 ás 18:00 hrs na Fundec Sorocaba (R. Brigadeiro Tobias, 73 – Centro).

Fonte: http://www.sorocaba.sp.gov.br/portal/noticias/dia-da-mulher-sera-celebrado-na-praca-central

Maiores Informações : https://www.facebook.com/aquarelasevento

 

email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *